terça-feira, agosto 11, 2009

Gostosa.com

 

mulher22

 

Sete da manhã, depois de uma noite sem sono, Gabi se levanta e vai para o banheiro conversar com o “bocão”. As mulheres sabem como isso é dificil, a maioria delas sofre com os problemas intestinais e vive a base de iogurtes e outros compostos ricos em fibras e ameixa.

Gabi não precisava disso, bastava a ela uma noite com as amigas na boate de sempre que no dia seguinte tudo funcionava perfeitamente. Ela não estava atrasada para o trabalho porque simplesmente não iria mais trabalhar, pelo menos não naquela empresa onde durante seis anos ela deu seu sangue, seu suor e outras coisas mais que não vem ao caso. A Gabi é maior de idade, independente e o que ela faz da vida dela, só diz respeito a ela.

Após meia hora de conversa com o bocão, de escovar os dentes, tomar um super banho de mais de uma hora e mandar o namorado tomar naquele lugar, Gabi resolveu que aquele era um excelente dia para comprar um biquini novo e dar uns bordejos pelo shopping. Gabi sempre foi assim, uma mulher de muitas fases, idas e vindas.

Com cinco anos ela fugiu de casa e foi achada cinco minutos depois escondida no jardim, com doze anos acertou em cheio um soco no olho da professora de artes e foi expulsa do colégio. Mas isso foram coisas da infância, pois na adolescência ela melhorou bastante e seu único incidente marcante foi ter sido pega fazendo sexo oral em seu namorado no meio da missa dominical. As beatas da igraja ficaram horrorizadas, o padre não sabia o que dizer e Gabi reclamava com o namorado por ele não ter aparado os pelos pubianos.

Depois do shopping e do biquini novo, bem cavado e ousado, Gabi tinha de almoçar e nada melhor do que uma boa salada tropical do Summer. O Summer, para quem não sabe é o melhor restaurante de saladas da cidade. Suas saladas são famosas e disputadas por celebridades e por politicos, por gente influênte e pela Gabi, que não vive sem uma salada do Summer, com todos os seus vegetais orgânicos e seus molhos especiais. Depois do Summer, só mesmo o Sujão e seu chopp bem gelado.

De volta ao lar Gabi se lembra de ligar para a Bruna, sua melhor amiga e confidente. Foi com a Bruna que Gabi deu perda total no seu carro zero no mês passado quando voltavam de uma festa de aniversário e foi com a Bruna também que ela fez o seu primeiro menáge em uma noite de muita vodca.

- Bruna sua vaca, sou eu a Gabi, onde você está?
- Estou no Summer amiga, acabei de chegar, mas isso aqui está um horror porque toda a cidade resolveu comer salada hoje. Essas criaturas um dia acordam e se olham no espelho, só ai se dão conta de como são gordas e horrendas e resolvem vir ao Summer achando que aqui eles fazem milagres.
- Porque não me ligou? Eu acabei se sair daí faz uma hora.
- Ah, eu nem vinha para cá, mas do nada resolvi que hoje era dia de salada tropical. Mas você não devia estar no trabalho a esta hora?
- Na teoria sim mas na prática eu resolvi que não nasci para aturar aquele babaca do Celso e nem para ficar olhando para cara daquela vadia da Aline. Isso sem contar que depois que sai com o William da contabilidade, ele ficava achando que podia mandar nos meus passos como se fosse meu dono.
- É amiga homem no trabalho é assim, você dá apenas profissionalmente. Acabou o expediente, acabou o amor. Mas e agora, vai fazer o que? Rodar bolsinha na esquina?
- Olha que não era uma má idéia, com o corpitcho que eu tenho, ia conseguir muito mais dinheiro do que nesses anos todos de trabalho escravo.
- Bom, faça o que você quiser, mas me deixe comer a minha salada agora porque tenho que alimentar essas carnes senão cai tudo e o Danilo não vai mais querer brincar na disneylândia do amor.
- Tudo bem, te ligo a noite para ver se fazemos alguma coisa, tô precisando dar para um cara diferente para ver se saio dessa maré de baixo astral.

Dizer que Gabi é uma mulher “dada” não é certo, porque ela apenas gosta e assume que gosta, isso não é pecado. É a velha história da mulher independente, que paga as suas contas em dia e tem o direito de fazer o que bem entender da sua vida.

Gabi não estava mais a procura de um namorado, marido ou coisa que valha porque ela sabia que isso não ia adiantar, ela havia acabado de terminar com o seu namorado pela manhã quando ele insistentemente ligou para ela cobrando explicações pela noite anterior, onde ela foi vista aos beijos com um moreno de tirar o folego. Gabi sabia que isso ia acontecer, pois as pessoas vivem acompanhando a sua vida como se ela fosse uma novela e os amigos do se ex, os fofoqueiros de plantão, não iam deixar essa passar, assim como ela também não deixou o moreno.

Não, ela não deu para ele, foram apenas uns beijinhos na festa e nada mais. Não que ela não tivesse tido vontade de dar para ele, ela teve e muita, mas o tal moreno era um desses caras tapados que não percebem os sinais e a Gabi é uma mulher sem paciência para homens sequelados que não sabem a hora certa de pedir a conta e leva-la para cama. Nesse dia a Bruna estava acompanhada do namorado e o Danilo sabe que quando as duas se juntam não pode vacilar e por isso fez uma marcação cerrada a noite toda.

Tarde caindo, sono chegando e Gabi se recolhe para um descanso. Ficar lendo o mesmo livro de auto-ajuda por muito tempo realmente da sono. Gabi não gosta de ler, mas como não tinha nada melhor para fazer a tarde, depois do Summer ela passou na livraria e comprou um desses livros que ensina as mulheres como ser mais isso, mais aquilo e menos aquilo outro.

Toda mulher já leu ou vai ler um livro desses, não tem jeito, as mulheres precisam de alguém que lhes diga que elas são isso, são aquilo ou que estão precisando fazer isso, fazer aquilo e mais um monte de bobagens que não levam a lugar nenhum ou que dizem aquilo que todas elas já sabem.

- Uma dose dupla de Black por favor – Gabi já estava na pista, depois de dormir até uma da manhã ela saiu para dar uma espairecida na Green Orange, a boate preferida de 10 entre 10 pessoas bonitas da cidade.

Bruna não pode vir por Danilo deu um ataque e ela preferiu ficar em casa para evitar se tornar a mais nova solteira do pedaço. Apesar dos pesares, o Danilo tinha muita grana e nos dias de hoje não dá para dispensar um cara que pode proporcionar uma vida tranquila que toda mulher deseja. Gabi não sabia como a Bruna conseguia, porque o Danilo era realmente um gato, mas ao mesmo tempo era um grude, desses que ficam ligando a cada meia hora, querem saber de tudo, confere agenda de celular e outras babaquices.
Gabi sempre se perguntava como a Bruna, um mulherão, desejada por 11 entre 10 homens da cidade, não mandava o Danilo passear e partia para outra. Ela sabia que o dinheiro contava, mas tinha a certeza de que o fato dele ser grudento do jeito que era, era um motivo mais do que suficiente para passar bem longe de qualquer mulher sensata.

Mas depois de tanta merda, será que a Bruna ainda era uma mulher sensata? - Gabi pensava sozinha enquanto acabava de tomar o seu Black Label no meio da pista da Green Orange.

O bom da Green Orange é que ela era uma boate exclusiva, apenas sócios tinham o prazer de dançar em sua pista e de desfrurar da companhia das maiores gatas da face da terra. Para se tornar um sócio da Green Orange, em primeiro lugar você tinha de ter grana, mas muita grana, pois a consumação minima lá era de R$ 500,00 reais. Com R$ 500,00 reais na Green Orange, você podia comprar duas garrafas de vodca nacional ou uma garrafa de Black Label.

Você também podia se tornar sócio se um dos sócios lhe indicasse e nesse caso você ganhava um passe que lhe dava direito a três noites onde você seria “avaliado” e passando no teste, virava um sócio. Gabi se tornou sócia depois de ficar com o melhor amigo do dono da Green Orange, um desses playboys endinheirados que jogam dinheiro fora como quem deixa a torneira do banheiro aberta. É claro que a sua beleza também facilitou as coisas, mulheres bonitas tem mais facilidade para se tornarem sócias.

Gabi estava na Green Orange aquela noite apenas para curtir um pouco e deiar rolar, ela não queria papos cabeça e muito menos cantadas baratas que não pagam nem uma long neck de cerveja nacional. Ela não queria, mas sempre existe um desavisado que quer.

- Gata, você sorri sempre assim para todos ou eu tirei a sorte grande?
- Como?!
- Gabi achou que tivesse ouvido algo errado
- O seu sorriso, ele é sempre lindo assim?
- Ah... Não, hoje eu troquei a dentadura e por isso é que os dentes estão branquinhos. A dentadura antiga já estava podre e não prestava mais, tive de joga-la fora.
- Você é bem humorada, gosto de mulheres assim. Qual o seu nome?
- Me chama do que quiser e vai lá no jardim ver se me encontra pastando por que hoje eu não tô afim!
- Qualé, só estava sendo gentil.
- E eu só estava sendo grossa. Empatamos, vaza e dá a vez para outro.

Ainda bem que a noite está apenas começando...

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...
 

Contos e encantos Copyright © 2007 - |- Template created by O Pregador - |- Powered by Blogger Templates